Home Nutrição Alimentos funcionais

Alimentos funcionais

E-mail Imprimir PDF
O que são alimentos funcionais e como eles podem ajudar sua saúde
Linhaça, nozes, peixes, casca de uva, cebola, soja, amendoim, frutas frescas e hortaliças. O que essa seqüência de alimentos tem em comum? Todos eles são portadores de propriedades funcionais, ou seja, carregam diferentes substâncias bioativas que auxiliam na prevenção ou no tratamento de diversas doenças, além de colaborarem com a promoção da saúde, mantendo as funções normais do organismo. A tabela abaixo ilustra alguns exemplos de compostos presentes em certos alimentos e seus respectivos benefícios a quem os ingere:
 
Ácidos Graxos 

Ômega 3 e 6
Óleo de canola, linhaça, nozes e peixes de águas frias e com alto teor de gordura, como salmão e sardinha
Aumentam a capacidade de defesa do organismo e auxiliam no controle hormonal do estrógeno
 
Bioflavanóides
Frutas frescas e hortaliças
Possuem atividade antioxidante
 
Isoflavonas

Soja, amendoim e outras leguminosas
Diminuem a concentração de enzimas que podem causar câncer
 
Licopeno

Tomate e melancia
Protegem contra o câncer, além de auxiliarem o sistema imunológico
 
Quercetina

Casca de uva, vinho tinto e branco e cebola
Inibem a mutação celular e a formação de coágulos, inflamações e substâncias cancerígenas
 
Segundo a nutricionista Raquel Zandonadi o termo “alimento funcional” foi utilizado inicialmente no Japão em meados da década de 1980 para tratar de alimentos que além de satisfazerem às necessidades nutricionais básicas desempenhavam efeitos fisiológicos benéficos a quem os ingeria. Apesar de ser uma expressão comumente utilizada e aceita, até hoje não existe uma definição consensual sobre ela em todo o mundo. 

“No Brasil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) prefere falar de alimentos ou ingredientes com propriedades funcionais ou de saúde, fazendo referência àqueles que atuam no crescimento, desenvolvimento, manutenção e em outras funções do organismo humano”, explica Zandonadi que é doutora pela Universidade de Brasília e coordenadora de Nutrição do Centro Universitário Unieuro, da capital federal. Outra determinação imposta pela legislação brasileira é que eles devem ser seguros para o consumo sem supervisão médica. 

Além de serem encontradas naturalmente nos alimentos, as propriedades funcionais podem ser adicionadas artificialmente a eles por meio de processos industriais. Esse é o caso dos biscoitos vitaminados, cereais matinais ricos em fibras, leites enriquecidos com minerais ou ômega-3 etc. 

No entanto, Zandonadi alerta que é sempre preferível optar por uma alimentação natural. “Tais produtos enriquecidos - além de trazerem substâncias prejudiciais à saúde como corantes, conservantes e aditivos - costumam apresentar concentrações baixas dos componentes funcionais, sendo necessário o consumo de uma grande quantidade deles para a obtenção do efeito positivo sugerido” afirma a nutricionista. 

Fonte: Renata Zandonadi / CRN-1: 2781

 

Publicidade

Facebook

Anuncie aqui

Seu anúncio aqui!
Produtos, serviços e clínicas. Anuncie na sua especialidade. Confira!

Enquete

Falhas de memória são comuns, mas alguns sinais mostram se isso pode ou não ser um problema. Você se preocupa quando nota que esqueceu algo?
 

Quem está Online

Nós temos 121 visitantes online