Home Gastroenterologia Vacina contra rotavírus reduz internações de crianças por gastroenterite 

Vacina contra rotavírus reduz internações de crianças por gastroenterite 

E-mail Imprimir PDF
Há três anos, a saúde da criança brasileira ganhou um reforço com a incorporação da vacina contra o rotavírus no Calendário Básico de Vacinação da Criança. O vírus é uma das principais causas de gastroenterite e provoca a maior parte dos óbitos em crianças menores de cinco anos.
 
Em Belo Horizonte, a medida já reflete no número de internações: em 2006, foram internadas 1.500 crianças nessa faixa etária com gastroenterite, ao passo que, no ano passado, o número caiu para 600 internamentos. Em termos percentuais, a queda foi de 60% no total de internações.
 
Os dados apontam para o sucesso da medida, mas também reforçam a necessidade de se aumentar a cobertura vacinal. Em 2008, cerca de 30 mil crianças entre dois e quatro meses receberam duas doses da vacina, o que corresponde a uma cobertura vacinal de 87,5% da população-alvo. 

Para melhorar este quadro, é de grande importância que os pais e responsáveis estejam alertas para o período de vacinação, uma vez que, após os cinco meses de vida, a vacina é contra-indicada. Praticamente todas as crianças terão contato com o vírus até os três anos de vida, período em que são diagnosticados os casos mais graves da doença.

“É importante lembrar que a gastroenterite virótica – causada pelo rotavírus – atinge populações em boas e más condições sanitárias, independentemente das diferenças sociais. Em países desenvolvidos, por exemplo, ainda são registrados casos da doença”, ressalta a técnica da Coordenação de Atenção à Saúde da Criança e do Adolescente da Secretaria Municipal de Saúde, Zélia Cardoso.

Dados da Sociedade Brasileira de Imunização apontam que entre 12 e 15 mil crianças na América Latina morrem todos os anos por gastroenterite causada pelo rotavírus – aproximadamente 20% do total de ocorrências da infecção são desencadeados pelo vírus. Bebês que recebem exclusivamente leite materno correm menor risco de ter a doença, mas ainda assim a vacinação é importante.

Em Belo Horizonte, a vacina está disponível em todos os 146 centros de saúde, que recebem uma média de seis mil doses mensais do medicamento.

Sintomas da doença

Crianças que apresentarem diarreia e os sintomas abaixo devem ser levadas para atendimento médico imediato

- Prostração (criança fica abatida) ou irritabilidade
- Boca seca, língua seca e/ou lábios ressecados
- Olhos fundos
- Em bebês, uma moleira funda
- Vômitos
- Febre
- Quando a criança não urina durante oito horas

 

Publicidade

Facebook

Anuncie aqui

Seu anúncio aqui!
Produtos, serviços e clínicas. Anuncie na sua especialidade. Confira!

Enquete

Falhas de memória são comuns, mas alguns sinais mostram se isso pode ou não ser um problema. Você se preocupa quando nota que esqueceu algo?
 

Quem está Online

Nós temos 50 visitantes online