Home Dermatologia Mutirão contra o câncer de pele

Mutirão contra o câncer de pele

E-mail Imprimir PDF

Cerca de 80 mil casos da doença são notificados anualmente pelo Ministério da Saúde no país. Entre as pessoas mais propensas a desenvolver a enfermidade estão as mais claras

Faltam apenas 15 dias para o início do verão e muitas pessoas já pensam em curtir as férias em locais como praias, clubes, cachoeiras e rios. Porém, além dos preparativos para o lazer, é preciso se conscientizar de que a exposição exagerada e sem cuidados ao sol causa danos, como o câncer de pele, responsável por 25% dos tumores registrados no país.

Dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca) revelam que esse tipo de câncer é muito comum, até mais que os de mama, próstata e pulmão. Além disso, cerca de 80 mil novos casos da doença são notificados anualmente no território brasileiro. Com o objetivo de orientar a população sobre a enfermidade, suas formas de prevenção e a importância do diagnóstico precoce, foi realizada ontem a 11ª edição da Campanha Nacional de Prevenção ao Câncer de Pele.

O mutirão ocorreu em 23 estados, das 8h às 16h. Em Minas Gerais, a população contou com quatro postos de atendimento gratuito, sendo dois em Belo Horizonte, um em Juiz de Fora (Zona da Mata) e outro em Uberlândia (Triângulo Mineiro). Conforme a coordenação estadual do evento, a expectativa é de que o balanço total de consultas e pessoas encaminhadas para tratamento seja divulgado até quarta-feira.

Segundo o coordenador da campanha no Hospital das Clínicas (HC), subcoordenador do serviço de dermatologia da unidade e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD-MG), Claudemir Aguilar, entre 600 e 700 pessoas foram atendidas somente no anexo de dermatologia Professor Oswaldo Costa, que fica no Bairro Santa Efigênia (Região Leste da capital). Desse total, 25% foram encaminhados para exames e tratamento.

Ele ressalta que a cada ano os números de novos casos de câncer de pele aumentam, o que é preocupante. “Por isso, fazemos essa campanha, para aumentar a conscientização da população, justamente no período que antecede o verão. A cada edição do mutirão contra a doença percebemos que boa parte dos pacientes já sabe da importância de se proteger e de evitar o sol. Também fazemos trabalhos de orientação em escolas, para que as crianças criem o hábito de cuidar da pele”, conta Aguilar.

De acordo com o dermatologista, o efeito do câncer de pele é cumulativo, ou seja, é entre a infância e a adolescência que uma pessoa lesa mais o DNA das células. “Nessa fase, há maior exposição ao sol, com índice de radiação entre 80% e 85%. Já começam aqui os prejuízos à pele. Digo que o câncer de pele é plantado na infância, adubado na puberdade e colhido na vida adulta. Contudo, nunca é tarde para começar a proteção.”

Entre as pessoas mais propensas a desenvolver a enfermidade estão aquelas que têm sardas, pele, olhos e cabelos claros; os idosos, pelo tempo de exposição maior ao sol; quem tem casos do câncer na família e queimaduras solares; aqueles que se expõem a arsênio e hidrocarbonetos, bem como as pessoas com incapacidade para se bronzear.

A orientação de Aguilar é para que, ao mínimo sinal de alerta do câncer de pele, procure-se o dermatologista.

ALERTA E PREVENÇÃO

Sinais de alerta
• Ferida que não cicatriza
• Mancha áspera na pele, que nunca melhora
• Pinta que cresce e vai mudando de forma
• Um crescimento na pele de aparência elevada e brilhante, translúcida, avermelhada, castanha, rósea ou multicolorida

Como se prevenir
• Usar filtro solar com fator de proteção 15, no mínimo. O ideal é o fator de proteção 30. Os protetores devem ser reaplicados a cada duas horas. No entanto, se a pessoa trabalha em ambientes que causam sudorese (suor em excesso), esse intervalo deve ser menor.
• Evitar a exposição ao sol das 10h às 16h, no horário de verão, e das 10h às 15h, nas demais épocas do ano.
• Usar bonés, chapéu e óculos escuros.
• Quem for para a praia deve ficar à sombra no horário das 10h às 16h. Isso porque há a incidência dos raios ultravioleta mesmo quando há barracas. Os ultravioleta refletem na água, na areia e atingem a pele.

Fonte: EM

 

Publicidade

Facebook

Anuncie aqui

Seu anúncio aqui!
Produtos, serviços e clínicas. Anuncie na sua especialidade. Confira!

Enquete

Falhas de memória são comuns, mas alguns sinais mostram se isso pode ou não ser um problema. Você se preocupa quando nota que esqueceu algo?
 

Quem está Online

Nós temos 149 visitantes online