Home

Anvisa suspenderá venda de prótese holandesa Rofil

E-mail Imprimir PDF
O comércio de próteses mamárias Rofil, fabricadas com silicone feito pela Poly Implant Prothèse (PIP), será proibido no Brasil. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) deve emitir um comunicado em breve sobre o cancelamento da autorização para a venda do produto pela Pharmedic Pharmaceuticals Importação no Brasil.
A Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética, nos Estados Unidos, também havia mencionado a Rofil e a PIP em um documento divulgado no início deste mês, em que recomenda a remoção ou a troca imediata dos produtos.

A Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica recebeu denúncias de que a Rofil usava o mesmo material da PIP, que corre o risco de romper. Segundo Sebastião Guerra, ex-presidente da entidade, estima-se que 15 mil pares de próteses da marca Rofil chegaram ao país.

No caso da PIP, foram 34 mil unidades importadas e 24.500 implantadas, em cerca de 12 mil pessoas.
As vendas do silicone da Rofil foram banidas em 2010 na Holanda. As autoridades sanitárias locais ainda estão investigando a empresa. As próteses da Rofil saíram do mercado junto com a PIP, em abril de 2010. No entanto, o registro da prótese da Rofil era válido até 2014 no país.

As substâncias presentes no produto são potencialmente tóxicas. O silicone de baixa qualidade tende a se romper mais cedo do que o comum, que tem validade de mais de dez anos.
Infiltrado em músculos, gânglios linfáticos, nervos e na glândula mamária, o silicone extravasado leva a inflamações, infecções, nódulos e pode causar dores crônicas.
 

Publicidade

Enquete

Falhas de memória são comuns, mas alguns sinais mostram se isso pode ou não ser um problema. Você se preocupa quando nota que esqueceu algo?
 

Quem está Online

Nós temos 106 visitantes online