Home

Sódio é o vilão da pressão arterial

E-mail Imprimir PDF
Consumo excessivo causa hipertensão arterial e aumenta o risco de doenças cardiovasculares.
Não há um consenso sobre o número de brasileiros que tem pressão alta. Segundo o Ministério da Saúde, cerca de 25% da população brasileira sofre com hipertensão, já a Sociedade brasileira de Hipertensão afirma que este índice é de 30%.

Divergências a parte, o problema é sério e pode levar a morte. “A hipertensão é caracterizada quando a pressão sistólica (quando o coração se contrai) é maior ou igual a 140 mmHg e a pressão diastólica (quando o coração relaxa entre duas batidas) é maior ou igual a 90 mmHg”, explica o terapeuta Paulo Edson Reis Jacob Neto.
A hipertensão é considerada um dos principais fatores de risco para doenças cardiovasculares e doença renal crônica. O Acidente Vascular Cerebral (AVC) e o infarto agudo do miocárdio podem ser causados pela pressão alta. “O principal vilão da pressão arterial é o sódio. Em qualquer idade o excesso de sódio provoca o desequilíbrio dos processos fisiológicos do organismo, causando em determinado período de tempo a hipertensão arterial. Fatores genéticos podem acelerar a instalação da doença no corpo”, esclarece Paulo.

Estudos científicos apontam que o consumo de sódio ideal não deve ultrapassar três miligramas por dia, sendo que a maioria da população consome até 13 miligramas diariamente. “A hipertensão se instala de maneira silenciosa, sem que a pessoa perceba. Quando o indivíduo se dá conta a doença já está em um estado crônico. Em excesso o sódio é um vilão, mas na quantidade certa ele é fundamental para a saúde, pois é responsável pela drenagem de toxinas e até metais pesados, que aumentam o risco de doenças degenerativas”, frisa.

O sódio é um componente do próprio sal e de maneira isolada é sal sintético. Este sal artificial é utilizados em alimentos que acabam gerando dependência e degeneração em crianças e adultos. “O controle da ingestão de sódio ajuda a promover a saúde e a qualidade de vida, evitando várias doenças graves, como a obesidade e problemas renais”, enfatiza o terapeuta, que possui o título de Terapia Ortomolecular do curso de Pós Graduação em Terapias Naturais da Universidade Castelo Branco e Faculdades Integradas Jacarepaguá (RJ).

Segundo Paulo, o sal mais saudável é o marinho, pois ele atua em equilíbrio com outros minerais presentes no organismo. Diferentemente do sal marinho, o refinado não apresenta estes efeitos, pois durante seu processamento acaba perdendo suas propriedades. “O Iodeto, mineral presente no sal, é perdido durante o processamento, sendo que as indústrias colocam Iodeto na mistura final. Para reduzir o uso do sal na alimentação uma dica é usar temperos que dão sabor a comida, como salsa, cebolinha, coentro, alho, cebola, canela, manjericão, manjerona e limão”, recomenda.

Os alimentos que mais contém sódio são os refinados, como batata frita, salgadinhos, sorvetes e refrigerantes. Devido à alta quantidade Paulo acredita que este tipo de comida não deveriam ser vendidos nas escolas. “Até mesmo a veiculação de propagandas que estimulam o seu consumo deveriam ser proibidos, especialmente na televisão. As crianças e os pais se tornam reféns da situação. Os pequenos querem comer e os pais tentam driblar os filhos de olho na saúde deles”, considera o especialista, presidente do Sindicato dos Terapeutas do Estado do Rio de Janeiro (SINTER-RJ).

Assim como o açúcar, o sal possui propriedades que viciam o paladar ao entrar em contato com a ponta da língua. Paulo pontua que dentro da proposta da terapêutica ortomolecular inclui-se como alimentos que devem ser evitados o açúcar, o sal, o trigo e o leite, pois são altamente degenerativos. “Estes alimentos causam a formação de placas de a ateromas, arteriosclerose, hipertensão e prisão de ventre. Para evitar prejuízos a saúde das crianças é recomendado não adicionar sal a comida, tendo em vista que a maioria dos alimentos já contém sódio”, acrescenta.
 

Publicidade

Enquete

Falhas de memória são comuns, mas alguns sinais mostram se isso pode ou não ser um problema. Você se preocupa quando nota que esqueceu algo?
 

Quem está Online

Nós temos 104 visitantes online