Home

Robô faz remoção de tumor no estômago

E-mail Imprimir PDF
Inspirados pelo famoso prato de Cingapura, o chilli de caranguejo, pesquisadores criaram um robô miniatura com uma pinça e um gancho que pode retirar tumores do estômago no estágio inicial sem deixar cicatrizes.

Montado em um endoscópio, o robô entra no intestino do paciente pela boca. Tem uma pinça que segura os tecidos cancerígenos e um gancho que os corta e coagula o sangue para parar o sangramento.

Com a ajuda de uma câmera minúscula anexada ao endoscópio, o cirurgião vê o que está dentro do intestino e controla os braços robóticos de modo remoto, sentado em frente a uma tela de monitor.

"Nossos movimentos são grandes demais e se você quer fazer movimentos muito delicados, as mãos tremem. Mas os robôs podem executar movimentos muito delicados sem tremer", disse o enterologista Lawrence Ho, que ajudou a projetar o robô.

O professor Ho, que trabalha no Hospital da Universidade Nacional de Cingapura, disse que o robô ajudou a remover tumores malignos de estômago, em estágio inicial, de cinco pacientes na Índia e em Hong Kong, usando uma fração do tempo normalmente gasto em cirurgias abertas, que colocam os pacientes sob riscos maiores de infecção e deixam cicatrizes.

O câncer de estômago, ou gástrico, é a segunda maior causa de mortes por câncer no mundo e é comum no leste asiático.
O diagnóstico de câncer gástrico geralmente ocorre em um estágio mais avançado da doença, quando o tratamento é difícil e, com frequência, malsucedido.

Louis Phee, professor assistente na escola de engenharia mecânica e aeroespacial do Instituto Tecnológico Nanyang de Cingapura, ajudou a projetar o robô com Ho.
Eles desenvolveram o robô depois de um jantar de frutos do mar em Cingapura em 2004 com o cirurgião de Hong Kong Sydney Chung, que sugeriu que o design fosse inspirado no caranguejo.

Chung é mais conhecido por combater a sars em Hong Kong em 2003.
"Ele [Chung] sugeriu que usássemos o caranguejo como protótipo. O caranguejo pode pegar areia e suas pinças são muito fortes", disse Ho.

"Muitas coisas são de certa maneira porque elas evoluíram e se adaptaram a certas funções... nós criamos algo que seguiu a anatomia humana e pegou emprestado ideias da natureza e incorporou as duas".
Os pesquisadores formaram uma empresa em outubro passado e esperam tornar o robô disponível comercialmente dentro de três anos.
 

Publicidade

Enquete

Falhas de memória são comuns, mas alguns sinais mostram se isso pode ou não ser um problema. Você se preocupa quando nota que esqueceu algo?
 

Quem está Online

Nós temos 112 visitantes online