Home Beleza e Estética Bronzeadores e protetores solares: cuidado para não se "queimar"

Bronzeadores e protetores solares: cuidado para não se "queimar"

E-mail Imprimir PDF

O verão está próximo e com ele vêm o sol, o calor e o desejo de uma pele morena.
Mas, para não comprometer a temporada com problemas decorrentes da exposição ao sol é importante tomar alguns cuidados, a começar pela compra e utilização de bronzeadores e protetores solares. Verifique alguns itens a seguir.

Processo de bronzeamento O sol irradia raios UVA e UVB que além de causarem queimaduras, podem gerar alterações nas camadas mais profundas da pele, acelerando o envelhecimento e aumentando os riscos de câncer na pele.

A pele contém um pigmento natural denominado melanina.
Quando exposto ao sol, o organismo reage produzindo mais esse pigmento e, assim, reduzindo a penetração dos raios solares.

A cada tipo de pele corresponde um nível diferente de melanina.
Os filtros solares contidos nos bronzeadores e protetores solares agem sobre a pele filtrando os raios UVA e UVB de forma similar à melanina, daí a importância de usá-los.

Queimaduras, ardor e inchaço podem ocorrer quando a pele é exposta indevidamente ao sol, desta forma é importante certificar-se da escolha correta do FPS - Fator de Proteção Solar - indicado para cada tipo de pele.

Contudo, isto não significa estar livre de complicações, sendo imprescindível que o consumidor leia e siga atentamente as instruções descritas no rótulo.

A embalagem deve fornecer: dados do fabricante e/ou importador (CGC, endereço, telefone nome completo); composição; data de fabricação e validade; contra-indicação; nível de proteção; instruções de uso; período em que o produto deve ser reaplicado; resistência à água e número de registro no Ministério da Saúde;

Produtos importados devem trazer estas mesmas informações em português, com linguagem clara e precisa.

Atenção: no caso aplicação em bebês, mesmo que o rótulo não mencione contra-indicações, é aconselhável orientar-se previamente com um pediatra.

Os bronzeadores de fabricação caseira devem ser evitados por não obedecerem aos critérios técnicos exigidos e nem aos padrões adequados de qualidade, podendo, inclusive, causar danos à saúde (alergias, manchas, queimaduras etc.).

Existe no mercado um produto chamado "acelerador de bronzeamento", cuja principal característica é estimular quimicamente o ciclo de produção da melanina, sem que haja, necessariamente, uma exposição solar.

Desta forma, quando exposta ao sol, a pela escurece com maior rapidez. No entanto, o uso deste produto não dispensa os cuidados básicos com os raios solares.

Outra forma de adquirir uma cor bronzeada é por meio de um creme denominado "autobronzeador’, produto que ao ser aplicado escurece a pele em poucos minutos sem necessidade de ficar sob o sol. Este efeito "moreno" tem uma durabilidade de, aproximadamente, 20 dias. O produto vai saindo conforme a pessoa toma banho.

Atenção: qualquer que seja a opção escolhida para se bronzear, o consumidor nunca deve deixar de ler atentamente e seguir as instruções de uso contidas na embalagem e, no caso de dúvidas quanto ao produto, formas de bronzeamento ou seu tipo de pele, procurar um dermatologista.

 

Publicidade

Facebook

Clínicas de Estética

Performace Clínica de Estética
Um novo conceito de saúde, beleza, rejuvenescimento e estética. Confira!

Enquete

Falhas de memória são comuns, mas alguns sinais mostram se isso pode ou não ser um problema. Você se preocupa quando nota que esqueceu algo?
 

Quem está Online

Nós temos 25 visitantes online