Home Urologia
Urologia

Brasil poderá ter genérico do Viagra

E-mail Imprimir PDF

Brasília. Em menos de dois meses, qualquer laboratório poderá produzir genérico com a fórmula do Viagra, um dos medicamentos mais consumidos no país por homens com problemas de ereção.

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu que a patente da Pfizer, único laboratório com autorização para produzir o Viagra, extingue-se em 20 de junho deste ano e não em 2011, como queria a empresa.

Segundo o Instituto Nacional de Propriedade Industrial (Inpi), com a liberação da patente, outros laboratórios devem produzir remédios iguais ao Viagra e o preço do produto pode cair em até 50%.

Para o presidente da Associação Brasileira das Indústrias de Medicamentos Genéricos (Pró-Genéricos), Odnir Finotti, o preço poderá ser até 35% mais barato. "Provavelmente no dia seguinte à data que vence a patente já teremos o genérico", disse.

Com a expiração da patente, ao menos mais 17 drogas devem chegar ao mercado usando o mesmo princípio ativo do Viagra: as quatro que já têm registro, além de outras 13 que estão com o pedido em análise. Dessas 13, sete são genéricas (aquelas com ação idêntica ao remédio original) e seis são similares (têm ação parecida, mas não garantem o mesmo efeito clínico).

 

Leia mais...
 

Criptorquidia - Testículo não descido

E-mail Imprimir PDF

A Criptorquidia caracteriza-se pelo fato de um testículo não ter descido até o escroto. Bem cedo na gravidez, os testículos começam a se desenvolver dentro do abdome, influenciado por vários hormônios.

Por volta da 32ª e 36ª semanas de gestação, os testículos começam a descer em direção ao escroto, através de um “buraco” na musculatura chamado de anel inguinal.

Em 30 por cento das crianças do sexo masculino prematuras e em aproximadamente três por cento daquelas que vão até o final da gravidez, um ou ambos testículos não completam sua descida até a hora do nascimento.

A maioria deles descerá espontaneamente durante os primeiros três a seis meses de vida. Antes de seis meses de idade, menos que 1 por cento dos bebês têm ainda o problema. Pode ser afetado tanto um quanto ambos os testículos.

Leia mais...
 

Por medo de impotência, um em cada 10 homens se recusa a operar próstata

E-mail Imprimir PDF

Levantamento realizado pelo Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp) Octavio Frias de Oliveira, ligado à Secretaria de Estado da Saúde e à Faculdade de Medicina da USP, aponta que um em cada 10 homens com diagnóstico de câncer de próstata recusa a o tratamento cirúrgico com receio de ficar impotente.

Mensalmente o Icesp recebe cerca de 200 pacientes com câncer de próstata, a maior parte em estágio inicial e, portanto, com chances de cura.

Desse total, 10% acabam recusando a realização da cirurgia e preferem um tratamento não cirúrgico (radioterapia ou bloqueio hormonal) contra a doença maligna da próstata.

A possibilidade de disfunção erétil após a cirurgia radical da próstata existe, mas varia conforme a idade. Segundo o médico responsável Marcos Francisco Dall`Oglio, do ambulatório de urologia do Instituto, pacientes com até 60 anos de idade têm cerca de 70% de chances de não sofrerem qualquer problema de disfunção sexual.

Leia mais...
 

Prevenção do câncer de próstata gratuito

E-mail Imprimir PDF
O Ministério da Saúde adverte: preconceito faz mal. Um em cada cinco homens terá câncer de próstata simplesmente por tabu, medo e insegurança de fazer o exame de toque retal, indicado a partir dos 40 anos.
 
Preocupados com a ironia dos colegas, eles não sabem que o exame dura apenas 10 segundos e é mais eficiente para detectar tumores do que o Prostatic Specific Antigen (PSA). 

Até 20% da população masculina pode apresentar o PSA normal, mas ter o exame de toque alterado. A maioria também não sabe que o câncer de próstata é silencioso e assintomático. A má notícia é que não há como evitá-lo e a boa é que tem cura. O mais seguro é fazer os dois exames juntos: o de toque e o PSA. 
Leia mais...
 

Hiperplasia benigna da próstata (HBP)

E-mail Imprimir PDF
O que é?
 
É o aumento benigno do volume da próstata. A próstata é uma glândula situada na parte inferior da bexiga e anterior ao reto. No seu interior passa a uretra (o canal pelo qual a urina é eliminada do corpo). A função da próstata é, entre outras, fabricar uma porção do esperma (líquido expelido durante a ejaculação). Como a próstata envolve a uretra, um aumento do volume prostático pode impedir a passagem da urina. 

Qual o tamanho da próstata?
 
Durante a infância, a próstata é muito pequena. Quando começa a adolescência, há uma maior produção de hormônios masculinos e, consequentente, a próstata inicia seu aumento. Nesta fase, os caracteres sexuais também surgem: engrossamento de voz, surgimento de pelos pubianos, barba, etc.
Leia mais...
 

Sangue na Urina e no Esperma

E-mail Imprimir PDF
Sangue na Urina

A presença de sangue na urina, também chamada de hematúria, não é uma doença, porém pode ser sinal de alguma. A hematúria divide-se em macroscópica (visível) (urina  vermelha ou avermelhada)  e microscópica ( urina com coloração normal, pois a quantidade de sangue é tão pequena que só é vista com auxílio de microscópio).
 
O sangramento do trato urinário pode ir e vir, mesmo em casos mais sérios, portanto um médico deve ser consultado imediatamente se algum sangue for detectado na urina, mesmo que uma só vez.

A hematúria microscópica só vai ser detectada em um exame de urina, porém a constatação de sangue na urina, visível ou microscópica, requer exames complementares para que se descubra a causa.
Leia mais...
 

Tumores na bexiga

E-mail Imprimir PDF
Depois do câncer de próstata, os tumores de bexiga (carcinomas transicionais de bexiga) representam a neoplasia urogenital mais frequente do homem e a 5a. causa de óbito por câncer em pacientes com mais de 75 anos de idade. 

Apesar de seu comportamento por vezes bastante agressivo, os tumores de bexiga têm sido melhor controlados e os índices de sobrevida destes casos melhoraram significativamente nas últimas décadas. 

Com os avanços em Oncologia, mais de 70% dos pacientes com câncer de bexiga são atualmente curados da doença e este fenômeno tem sido observado até mesmo em casos de neoplasia disseminada, cuja evolução fatal era inevitável até recentemente.A incidência de câncer na bexiga aumenta com a idade e menos de 1% dessas neoplasias ocorrem antes dos 40 anos. 

A doença, que é de 3 a 5 vezes mais frequente em pacientes masculinos, surge anualmente em 6 de cada 100.000 indivíduos com menos de 40 anos e em 150 de cada 100.000 indivíduos com mais de 70 anos.
Leia mais...
 

Droga sintética combate câncer de próstata fatal

E-mail Imprimir PDF
Pesquisadores consideram que nova pílula consegue alcançar redução nos tumores em 80% dos casos, além de fazer regredir metástases em outros órgãos contaminados
 
Até 2011, uma pílula comprada na farmácia e tomada diariamente fará desaparecer tumores que se desenvolveram na próstata e se disseminaram para outros órgãos. 

Se não tivesse partido do médico Johann De Bono, oncologista do Institute of Cancer Research — com sede em Londres —, a previsão seria considerada fruto da mente de algum lunático.
De Bono e 15 cientistas do renomado centro de pesquisas britânico descobriram que a substância sintética acetato de abiraterona conseguiu tratar o câncer de próstata em 80% dos pacientes, alguns deles praticamente desenganados pela medicina. Além de surpreendentemente eficaz, a droga mostrou-se segura e bem menos agressiva que a quimioterapia. 
 
Leia mais...
 

Cálculos renais

E-mail Imprimir PDF
O que é?
O depósito organizado de sais minerais nos rins ou em qualquer parte do aparelho urinário é o que se chama de cálculo urinário. Cálculos constituídos por cálcio são os mais comuns. Outros minerais encontrados são: oxalato, fósforo, ácido úrico. As "pedras" podem também ser formadas por uma mistura destes elementos. Quando houver um excesso destes minerais no organismo, há uma tendência para que eles se depositem na urina. Como exemplo, pode se tomar uma pessoa que faça uso exagerado de leite e derivados, os quais são ricos em cálcio. Após um período de tempo haverá uma provável formação de cálculo de cálcio nos rins.

O que se sente?
O cálculo renal é o responsável pela famosa cólica renal: dor nas costas ou no abdome lateral ou embaixo das costelas com irradiação para o testículo do mesmo lado ou para o grande lábio vaginal nas mulheres. Geralmente é uma dor forte, intensa. O paciente pode ter sangue na urina. Se há infecção urinária concomitante o aparecimento de febre é comum. Os cálculos podem também ser assintomáticos e crescerem até um tamanho considerável, sem que o paciente os note.
 
Leia mais...
 

Incontinência Urinária

E-mail Imprimir PDF
A Incontinência Urinária é uma condição multifatorial que afeta muitas pessoas, em diferentes faixas etárias. Ao mesmo tempo em que era considerada pelos pacientes como uma condição normal do processo de envelhecimento era negligenciada pelos profissionais da área da saúde. Essa condição constrangedora de perda involuntária de urina tem conseqüências avassaladoras na qualidade de vida das pessoas incontinentes, causando muitas vezes marginalização do convívio social, frustrações psicossociais e institucionalização precoce.

É de especial importância aos profissionais da área da saúde o conhecimento prévio de todo o processo fisiológico normal de continência, para que possamos intervir diretamente e de forma conservadora nos cuidados da pessoa incontinente, para tanto, faremos uma breve revisão dos mecanismos fisiológicos normais.

Reflexo da micção
À medida que a bexiga vai se enchendo de urina, os receptores sensoriais presentes no interior da bexiga percebem o estiramento da parede vesical e ondas de contração vão surgindo, esses sinais sensoriais são conduzidos para os segmentos sacrais da medula espinhal pelos nervos pélvicos, voltando depois, por via reflexa, para a bexiga. À medida que a bexiga continua se enchendo os reflexos de micção tornam-se mais freqüentes mais intensos causando contrações também cada vez maiores do músculo detrusor, num ciclo repetitivo e contínuo, até que a bexiga atinja um alto grau de contração.
 
Leia mais...
 

Disfunção Erétil

E-mail Imprimir PDF
Disfunção erétil (alteração no processo normal de ereção peniana), é hoje o termo considerado mais apropriado para o que antes chamávamos impotência sexual.

Disfunção erétil é a incapacidade persistente de se obter ou de manter a ereção peniana adequada para a penetração vaginal.

Dados da OMS (Organização Mundial de Saúde), sugerem que 30% da população economicamente ativa manifesta algum tipo de DE (Disfunção Erétil), o que no Brasil representa cerca de 11 a 15 milhões de homens.

Em São Paulo, um questionário distribuído durante a II Semana de Detecção do Câncer de Próstata, em 1999, revelou que 12% dos homens entre 41 e 50 anos, 18% entre 51 e 60 anos, 30% entre 61 e 70 anos e 52% com mais de 71 anos disseram estar insatisfeitos com sua ereção e desempenho sexual.
Entendendo a Disfunção Erétil
Para que possamos entender melhor a disfunção erétil, é importante que tenhamos algumas noções sobre a anatomia e o funcionamento do pênis.

O pênis é composto de duas estruturas cilíndricas chamadas de corpos cavernosos e um corpo esponjoso. O interior destes cilindros é semelhante a uma esponja e tem capacidade (espaço) para se encher ou esvaziar de sangue.
 
Leia mais...
 


Pagina 1 de 2

Publicidade

Facebook

Publicidade

Banner DL Gráfica

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Anuncie aqui

Seu anúncio aqui!
Produtos, serviços e clínicas. Anuncie na sua especialidade. Confira!

Enquete

Falhas de memória são comuns, mas alguns sinais mostram se isso pode ou não ser um problema. Você se preocupa quando nota que esqueceu algo?
 

Quem está Online

Nós temos 989 visitantes online